top of page
Buscar

Liberação controlada de ativos em condições específicas - pH

A liberação controlada, uma forma de entrega inteligente de ativos, cada vez mais ganha espaço na área de fármacos e cosméticos, sendo uma opção elegante para maximizar o efeito de ativos no corpo humano. Neste breve artigo, convidamos você a conhecer uma das formas de liberação controlada: a partir de um gatilho pH.


No texto que segue explicamos alguns dos conceitos envolvidos no vídeo acima e discutimos como isso se aplica na realidade, de forma a ajudar no entendimento sobre a tecnologia de liberação controlado por gatilho pH.


O que é pH?

O pH (potencial hidrogeniônico) é uma escala logarítmica que tradicionalmente vai de 0 até 14 e mede o grau de acidez ou de alcalinidade de uma solução. Quando o pH é igual a 7 temos uma solução neutra, em valores abaixo disso temos uma solução ácida, e acima de 7 uma solução básica (alcalina).

O pH da pele no corpo humano é levemente ácido, geralmente ficando entre 4,5 e 5,8, variando um pouco dependendo da parte do corpo e do tipo de pele de cada pessoa. Existem diversos fatores que interferem no pH da pele, podendo torná-lo mais ácido ou mais básico. Dentre esses fatores estão: poluição do ar, radiação solar, banhos muito quentes, produtos com pH muito alcalino e grandes mudanças de temperatura.


Como o pH influencia a pele?

É importante a manutenção de um pH levemente ácido visto que essa acidez protege a pele de fungos e bactérias, evitando problemas como infecções e dermatites, sendo importante estar atento ao pH para os cuidados com a pele. Mesmo em bom estado de saúde, à medida que vamos envelhecendo o pH da pele começa a se aproximar mais da neutralidade (pH = 7,0), o que faz com que o rosto fique mais sensível, tornando-o mais ressecado e propenso a doenças, demonstrando a importância que todos deveriam dar aos cuidados faciais.


Visto isso, um dos gatilhos presentes nos ativos nanoencapsulados da Nanovetores é o gatilho pH, em que a variação do pH leva ao rompimento das cápsulas, liberando os ingredientes ativos. Um exemplo de funcionalidade dessa tecnologia é quando transpiramos, em que o suor promove uma variação no pH da pele, rompendo assim as cápsulas e liberando os ativos.


Demonstração do gatilho pH

Com o objetivo de demonstrar a funcionalidade do gatilho pH, realizou-se o experimento do vídeo no começo do texto, que mostrou a influência de um meio ácido e um meio básico na liberação de uma substância colorida encapsulada.


A ideia dessa simples demonstração é tornar evidente o comportamento distinto das cápsulas em pH’s bastantes ácido e básico, sendo esperado que em território ácido as partículas mantenham-se basicamente intactas enquanto em meio alcalino elas se degradem e liberam as substâncias encapsuladas. Esse teste não tem por intuito simular a pele humana e não é representativo do que de fato ocorre na pele, mas sua ideia é simplesmente mostrar em escala macrométrica e visual a liberação de ativos encapsulados por meio do gatilho pH. A forma como o teste foi feita é a que segue:


Inicialmente, foram preparadas partículas de tamanho macroscópico em que foi encapsulado corante azul para visualizar a liberação do encapsulado a partir da degradação da cápsula. Foram feitas também duas soluções, uma com pH ácido (próximo a 2,0) e outra com pH básico (aproximadamente 12,0), que tiveram os seus pH’s ajustados e mensurados com auxílio de um pHmêtro, como é possível observar no vídeo. As partículas foram então colocadas em dois vidros de relógio, onde em um pingou-se alguns mililitros de solução ácida e no outro mais alguns mililitros de solução básica.


Então, foi observado o comportamento das partículas nos dois vidros de relógio durante o período de 3 horas, para analisar o nível de degradação das cápsulas nos diferentes pH’s. Foi possível observar que em pH ácido as partículas se mantiveram intactas, enquanto em pH básico elas se romperam liberando o conteúdo encapsulado. Dessa forma, foi demonstrado o funcionamento do gatilho pH, em que as partículas rompem-se em pH’s específicos.



Como o experimento se traduz na realidade?

Levando isso para o contexto real, os produtos encapsulados com a tecnologia Nanovetores possuem a capacidade de liberação controlada a partir de algumas possibilidades, sendo ela escolhida de acordo com a necessidade do cliente. Pode-se citar a liberação por gatilho enzimático, temperatura, fricção, contato com água, exposição à luz e pH’s específicos.

O gatilho de liberação por pH é bastante interessante para cosméticos de uso tópico, já que ocasiona a liberação do ativo somente no momento necessário, como ao começar a suar durante um exercício físico, ou ao contrário, evita a liberação da substância em regiões do corpo ou momentos inadequados. E embora pensemos muito na pele ao falar de pH, o mesmo se aplica aos cabelos, que tem pH ideal na faixa de 4,5 a 5,5 mas recebem muito estresse no decorrer de um dia, o que pode aumentar o pH fazendo as cutículas da superfície do cabelo se abrirem, tornando o cabelo áspero, poroso, sem brilho e sensibilizado, ou pode tornar o cabelo mais ácido do que o ideal, compactando essas cutículas e tornando as madeixas enrijecidas e quebradiças.


Portanto, a liberação por pH vem como uma opção para quem busca formas de maximizar o efeito de cosméticos por meio de uma aplicação mais eficaz e inteligente (não à toa o termo smart delivery é utilizado), e a Nanovetores possui o know-how para trazer esse e diversos outros benefícios da nanotecnologia aos seus produtos! Acesse o nosso catálogo para conhecer ainda mais sobre os benefícios dos produtos da Nanovetores!

Comments


bottom of page