Buscar

Eficácia como pilar de resultados rápidos

Ao formular um cosmético, além de superar os desafios da formulação, espera-se obter um produto eficiente, que atinja o alvo de tratamento e realize a entrega desejada pelo consumidor. Mas será que todo ativo chega ao alvo de ação e realiza o que se espera de efeito?

A pele constitui a primeira linha de defesa do organismo contra as partículas exógenas, bem como a última barreira que separa o organismo do seu ambiente hostil de agentes patogênicos e tóxicos. A pele oferece assim, naturalmente, uma baixa permeabilidade e elevada resistência ao movimento de moléculas estranhas (Karande & Mitragotri, 2009; Landmann, 1988, Madison, 2003) sendo, por isso, difícil de penetrar. Além disso, a permeabilidade da pele pode ser influenciada por inúmeros fatores fisiológicos, como a idade, etnia, local anatómico, sexo e algumas patologias. [1]


A barreira cutânea, também conhecida como mantohidrolipídico, protege a epiderme (camada mais externa da pele), a derme e a hipoderme. Os compartimentos anexos da pele, como os folículos pilosos, as unhas, as glândulas sebáceas e sudoríparas também ajudam na proteção da pele.


Pela maior compreensão da estrutura da pele e suas funções na absorção cutânea, a associação de novos tensoativos sintéticos em produtos cosméticospassaram a sercada vez mais utilizadas na indústria cosmética [3]. Porém, a eficácia destes continuava a ser um grande desafio, pois as emulsões melhoram o sensorial dos produtos, mas os ativos aplicados em sua forma livre continuavam a ter as mesmas limitações de sempre.Surge então, a nanotecnologia como uma solução que quebra paradigmas por resolver limitações farmacotécnicas clássicas de muitos ativos cosméticos.


Levando em consideração as características do tamanho reduzido, as nanopartículas contendosubstâncias ativas são utilizadas com a finalidade de melhorar a aplicabilidadede tais substâncias, ou seja, potencializar sua ação ou estabilidade [2]. Assim, a encapsulação permite que os ativos cosméticos atravessem o estrato córneo e penetrem na epiderme viável e/ou derme (dependendo do ativo) e desempenhem a sua função, de forma segura para não atingirem a circulação sanguínea [2]. O ativo só é liberado através dos gatilhos no alvo de ação através da tecnologia de encapsulação desenvolvida pela Nanovetores.


Vejamos como exemplo o dermocosmético para tratamento da unha.


No caso das unhas, os tratamentos tópicos também são limitados devido à natureza impermeável. Por sua formação embrionária a partir da epiderme primitivo o aparelho ungueal mantém grande semelhança com o pelo e o estrato córneo tanto em condições normais como patológicas.


A impermeabilidade da estrutura ungueal se deve às fortes ligações de dissulfeto e hidrogênio na rede de queratina da unha. As fibras de queratina e as proteínas globulares seguram com força a placa de unha, tornando-a uma das barreiras biológicas mais resistentes do corpo [4]. Mais uma vez as nanopartículas se apresentam como solução para permear a complexa estrutura ungueal, pois promovem penetração profunda, proteção dos ativos e liberação controlada no alvo de ação, garantindo atividade prolongada do ativo.


As nanopartículas se destacam como potenciadores de permeação, pois otimizam a entrega dos ativos sem prejudicar as células viáveis e conduzindo o ativo até camadas mais profundas da pele ou da unha.


O tratamento tópico apropriado precisa levar em consideração o ingrediente ativo e também os excipientes que constituem a formulação, pois influenciam diretamente em como os ativos são entregues [5]. As nanopartículas devem ter afinidade com a estrutura cutânea e ungueal, além disso, existe um conjunto de características que, idealmente, eles devem apresentar:

  • Ser não-tóxicas, não-irritantes ou não alergênicas;

  • Ter uma ação rápida, previsível atividade e duração de ação;

  • Possuir compatibilidade com o ativo, independentemente do tipo de formulação tópica;

  • Promover a sensação de textura natural da pele [4].

O Nano Nails é um excelente exemplo que evidencia a eficácia de permeação dos ativos nanoencapsulados.


Esse ingrediente ativo trata unhas e cutículas penetrando na lâmina ungueal e chegando nas camadas mais profundas, tem ação prolongada sobre as cutículas, fortalecendo sua função protetora contra bactérias e infecções, pois é composto por ativos naturais de ação antiséptica.


A saúde da unha e das cutículas pode se ver afetada por inúmeros motivos. As unhas são alvo de micose e outras doenças relacionadas a fungos e bactérias; também podem sofrer lesões na matriz ou pequenos traumas, que levam a ondulação da lâmina ungueal e ao aparecimento de manchas brancas, chamadas de leuconiquia.


O uso de esmaltes também pode causar cromoníqueas (unhas amarelas) exógenas. A queratina da lâmina ungueal pode apresentar manchas vermelhas ou marrons consequentes também do uso de esmaltes. São manchas assintomáticas e deslocam-se distalmente conforme as unhas vão crescendo.


O mercado de produtos estéticos para conservação das lâminas ungueais é vasto e vários investimentos em pesquisa e desenvolvimento de produtos aplicados a estes cuidados são promovidos anualmente na indústria de cosméticos. A escolha do produto para ser utilizado no aparelho ungueal deve ser um cuidado básico do consumidor. A qualidade é fundamental e os testes alérgicos e de eficácia devem se tornar um requisito de compra para o consumidor.


Leia mais informações sobre o Nano Nails no link a seguir:

Nanovetores | Fortalecedor de unhas



REFERÊNCIAS A Eficácia: A nanotecnologia como diferencial para resultados rápidos e alta eficácia; Dra. Betina Giehl Zanetti Ramosa , Dra. Lara Martholly di Martosb, Dra. Ledilege Cucco Portoc , Jocelane Zoldand;


Permeação Inteligente: Minúsculas em tamanho e gigantes em potencial, nanopartículas como inovação em permeação para dermocosméticos; Dra. Betina Giehl Zanetti Ramos, Dra. Lara Martholly di Martosb, Dra. Ledilege Cucco Portoc , Jocelane Zoldan;

  1. Permeação cutânea: desafios e oportunidades. Autores: Margarida Soares, Carla Vitorino, João Sousa; Alberto Pais. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada. Artigo acessado em 15/05/2021. Página: https://rcfba.fcfar.unesp.br/index.php/ojs/article/view/21

  2. DAUDT, R. M. et al. A nanotecnologia como estratégia para o desenvolvimento de cosméticos. Ciência e Cultura, [S.L.], v. 65, n. 3, p. 28-31, jul. 2013. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.21800/s0009-67252013000300011. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S000 9-67252013000300011. Acesso em: 01 ago. 2020.

  3. GOMES, R.K.; DAMAZIO, M.G. Cosmetologia descomplicando os princípios ativos. 2. ed., São Paulo, Editora Médica Paulista, 2006.

  4. DHAMOON, R. K.; POPLI, H.; GUPTA, M. Novel Drug Delivery Strategies for the Treatment of Onychomycosis. Pharmaceutical Nanotechnology, [S.L.], v. 7, n. 1, p. 24-38, 10 maio 2019. Bentham Science Publishers Ltd. http://dx.doi.org/10.2174/22117385076661902 28104031.

  5. SOUSA, A. L. V. de. Modulação da permeação cutânea de substâncias ativas a partir de produtos tópicos. 2016. 88 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Ciências Farmacêuticas, Universidade da Beira Interior, Covilhã, 2016.


60 visualizações0 comentário