Buscar

DMAE: Eficácia no resultado e experiência sensorial premium


Resultados rápidos na aparência da pele, experiência satisfatória na aplicação do cosmético pode fidelizar o consumidor à marca e ao produto. Mas como conseguir combinar esses atributos em seu cosmético?


A experiência sensorial e a eficácia de um produto dermocosmético são fatores chave para conquistar o consumidor. Para assegurar essas importantes características é necessário que o processo produtivo, a formulação e os benefícios associados aos ingredientes ativos sejam otimizados.


Para tanto, a encapsulação de ingredientes ativos através da nanotecnologia garante resultados superiores, propiciando um produto final excepcional e que atenda às expectativas dos consumidores. A tecnologia de encapsulação possibilita que a formulação tenha características e funcionalidades melhoradas [1].


Pensando no sensorial do produto, a percepção olfativa é um ponto muito importante, e determinadas substâncias podem influenciar no cheiro do produto cosmético, como óleos essenciais, o dimetilaminoetanol (DMAE) e a cisteamina, que possuem odores característicos, mas são muito utilizados em produtos antiaging.


Nesse sentido, a encapsulação de tais substâncias se mostra como uma solução ideal para garantir um sensorial agradável ao produto. A proteção do ativo através da nanotecnologia proporciona a liberação controlada no alvo de ação, preserva o ingrediente da interação com o meio e com a fórmula, leva à melhor permeação, solubilidade e biodisponibilidade, e ainda assegura que o cheiro característico de algumas substâncias fique recluso dentro das partículas, possibilitando que a formulação seja perfumada sem influência do odor dos ativos.

Alguns ativos sensíveis, quando oxidam, além de perderem suas propriedades, também podem liberar um odor desagradável [2]. As nanopartículas protegem os ativos, mantendo a qualidade do cheiro do produto durante a produção, armazenamento e uso do produto final [3]. A proteção do ativo através da nanoencapsulação blinda os mesmos contra reações indesejadas com o meio e garante o controle de odor dos componentes da formulação cosmética devido às características oclusivas das nanopartículas.


O DMAE é uma substância nutricional encontrada em peixes como anchova, sardinha e salmão. É utilizado para combater a flacidez, diminuir as rugas finas e promover efeito tensor na pele. É um ativo que melhora a aparência geral da pele, com efeitos imediatos (lifting) e em longo prazo. O DMAE é considerado um análogo da colina, responsável por aumentar a síntese da acetilcolina no sistema central e na derme [4, 5, 6]. Com o envelhecimento, os precursores nutricionais e substâncias químicas que tonificam os músculos começam a diminuir. Um mediador que regula as contrações musculares é a acetilcolina, um neurotransmissor sintetizado nas terminações nervosas a partir da colina. Assim, o DMAE atua estimulando a liberação da acetilcolina que, por sua vez, estimula os músculos da face, ocasionando um efeito tensor na pele [7, 8]. Além disso, o DMAE possui uma forte ação anti-inflamatória, antioxidante e hidratante atuando de maneira expressiva sobre o envelhecimento cutâneo [9, 10].


O DMAE livre possui um odor desagradável característico das aminas [10]. A encapsulação do ativo permite a redução do odor, permitindo a perfumação da formulação com a fragrância desejada. O Nanovetor DMAE possui ação antiaging, reduz as rugas e promove um aumento de firmeza cutânea.


O Nanovetor DMAE é um ativo encapsulado em partículas biopoliméricas que atua expressivamente sobre o envelhecimento cutâneo. A encapsulação através da tecnologia desenvolvida pela Nanovetores permite a oclusão de odores desagradáveis e a estabilização de componentes complexos de serem formulados em sua forma livre, conferindo um melhor do sensorial ao produto final. Além disso, permite a liberação prolongada, liberando o ativo encapsulado no decorrer de 12 horas após a aplicação do produto.


O Nanovetor DMAE é um ativo constituído de Dimetilaminoetanol Bitartarato encapsulado em nanopartículas biopoliméricas e com gatilho de liberação enzimático.


A tecnologia de encapsulação garante multifuncionalidade e liberação prolongada do ativo encapsulado, que ocorre até 12 horas após a aplicação do produto.


Mais uma vez, a nanoencapsulação é a solução que proporciona melhor biodisponibilidade e funcionalidade dos ativos, bem como evita a degradação e evaporação de moléculas orgânicas voláteis e odoríferas [11]. Assim, além de todos os benefícios proporcionados pela encapsulação de ingredientes ativos, a nanotecnologia se apresenta como solução inovadora para melhorar o odor de produtos dermocosméticos.


Referências

Texto baseado no artigo: Redução de odor: como a nanotecnologia pode viabilizar o uso de ativos com odor desagradável. Autoras: Dra. Betina Giehl Zanetti Ramosa , Dra. Lara Martholly di Martosb, Dra. Ledilege Cucco Portoc , Jocelane Zoldan.


1. SHAFIQ, M.; et al. An Overview of the Applications of Nanomaterials and Nanodevice s in the Food Industry. Foods, [S.L.], v. 9, n. 2, p. 148-175, 3 fev. 2020. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/foods9020148. Disponível em: https://www.mdpi.com/2304-8158/9/2/148/htm. Acesso em: 17 ago. 2020.


2. FERREIRA, C. D.; NUNES, I. L. Oil nanoencapsulation: development, application, and in corporation into the food market. Nanoscale Research Letters, [S.L.], v. 14, n. 1, n.p., 7 jan. 2019. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1186/s11671- 018-2829-2. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1186/s11671-018-2829- 2#citeas. Acesso em: 17 ago. 2020.


3. RAHMAN, U. ur.; et al. 4 - Design of Nanoparticles for Future Beverage Industry. In: GRUMEZESCU, Alexandru Mihai et al (ed.). Nanoengineering in the Beverage Industry. [S.I.]: Elsevier Inc., 2020. p. 1-490.


4. FIORINI, D. et al. Dimetilaminoetanol – DMAE: uma revisão bibliográfica. Infarma - Ciências Farmacêticas. 20 (5/6): 17-20, 2008.


5. PERRICONE, N. O guia para ter a pele mais jovem. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.


6. REBELLO, T. Guia de produtos cosméticos. 6 ed. São Paulo: Senac São Paulo, 2006.


7. RIBEIRO, C. Cosmetologia aplicada a dermocosmética. São Paulo: Pharmabooks, 2006.


8. GIANNOCCARO, F. B.; FILHO, A.G.; FERREIRA, L.M. Cultivo de fibroblastos humanos com DMAE. Cosmetics & Toiletries. 19, 2007.


9. GROSSMAN, R; The Role of Dimethylaminoethanol in Cosmetic Dermatology; American Journal of Clinical Dermatology. 6(1): 39-47, 2005.


10. DECCACHE, D.S. Formulação dermocosmética contendo DMAE glicolato. 2006.153 f. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Rio de J.


11. UMMI, A. S.; SIDDIQUEE, S. (2019) Nanotechnology Applications in Food: Opportunities and Challenges in Food Industry. In: Siddiquee S., Melvin G., Rahman M. (eds) Nanotechnology: Applications in Energy, Drug and Food. Springer, Cham. https://doi.org/10.1007/978-3-319-99602-8_15.

38 visualizações0 comentário