Buscar

DESCUBRA COMO USAR O CONTROLE MORFOLÓGICO PARA AUMENTAR A PERMEAÇÃO DO COSMÉTICO.


Você já ouviu falar que o controle morfológico e nanopartículas compatíveis proporcionam máxima eficácia e resultados rápidos. Nesse artigo, entenda como esse controle funciona e não hesite em entrar em contato conosco para testar nossos ativos em sua formulação e conhecer o diferencial que é utilizar ativos nanoencapsulados.


O tamanho e a carga superficial das nanopartículas influenciam na eficiência da aplicação tópica de dermocosméticos. As nanopartículas que protegem os ingredientes ativos encapsulados possuem uma carga superficial, fundamental para a adesão das mesmas à pele, cabelo e unhas e um tamanho adequado para a aplicação pretendida, essencial para uma permeação eficaz do ativo, afinal, garantir que o ativo permeie e seja absorvido no local apropriado é outra garantia de eficácia no uso de cosméticos.


A nanotecnologia permite o controle da carga superficial, que garante estabilidade às nanopartículas, o que se torna um diferencial na formulação cosmética, já que muitos ativos, ao serem incorporados aos demais, podem apresentar incompatibilidade, dificultando a estabilidade e a uniformidade do produto final. Já com as nanopartículas com o tamanho ideal esse problema é resolvido proporcionando ainda, máxima performance do ingrediente ativo.


Mas afinal, o que é a carga superficial e o controle morfológico?


Praticamente todas as nanopartículas têm uma carga em sua superfície e quando há um campo elétrico (cargas positivas e negativas), elas tendem a se mover de um lugar para outro devido à interação de cargas [1], isto é, se a carga na superfície da nanopartícula é positiva, ela se moverá até a carga negativa de outra superfície (o cabelo e a pele, por exemplo).